A inserção de estudantes de medicina no espaço prisional: relato de experiência de ações de promoção a saúde em um presídio paulista

  • Harnoldo Colares Coelho Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata - FACISB
  • Julia de Nadai Silva
  • Letícia Conti de Abreu
  • Victoria Del’ Moro Cespedes
Palavras-chave: Prisões, Educação Médica, Acesso aos Serviços de Saúde, Saúde Pública

Resumo

Em 2014 entrou em vigor a política nacional de saúde das pessoas privadas de liberdade (PPL). Esta nova política de saúde prevê que a PPL passe a ser responsabilidade de atendimento no âmbito da Atenção Básica. A falha no cuidado à saúde da PPL e a grande incidência de algumas doenças, especialmente as infectocontagiosas, são características da realidade prisional.  Este relato tem como objetivo descrever uma vivência de estudantes de medicina junto as PPL de um estabelecimento prisional do Estado de São Paulo, o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taiúva-SP. O estágio ocorreu através do Programa de Mobilidade Estudantil (PME) que é oferecido aos estudantes de Medicina da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB). Durante quatro semanas, três alunas do segundo ano da FACISB realizaram palestras sobre promoção de saúde e observaram o funcionamento do atendimento médico da PPL. Houve elaboração de cartazes e panfletos informativos sobre os temas abordados nas palestras. A experiência possibilitou sobre refletir novas perspectivas no sistema prisional, quebrando preconceitos existentes e criando um novo olhar sobre as populações marginalizadas. A inserção do estudante de medicina em unidades prisionais promove reflexões a sobre a desassistência a saúde da PPL. Possibilita ainda a esses futuros profissionais médicos levarem seus conhecimentos para promoção de saúde e prevenção de enfermidades nesta população.

Referências

1. Hanrahan JP, Wormser GP, Maguire GP G. Opportunistic infections in prisoners. N Engl J Med 1982; 307:498.

2. Coelho HC, Oliveira SA, Miguel JC, Oliveira MLA, Figueiredo JFC, Perdoná GC et al . Predictive markers for hepatitis C virus infection among Brazilian inmates. Rev Soc Bras Med Trop 2009; 42:369-72. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822009000400002&lng=pt

3. Gahrton, C., Westman, G., Lindahl, K. et al. Prevalence of Viremic hepatitis C, hepatitis B, and HIV infection, and vaccination status among prisoners in Stockholm County. BMC Infect Dis. 2019; 19:955. Disponível em: https://bmcinfectdis.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12879-019-4581-3

4. Stevenson KA, Podewils LJ, Zishiri VK. HIV prevalence and the cascade of care in five South African correctional facilities. PLoS One 2020:15. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0235178

5. Batista MI, Paulino MR, Castro KS. Alta prevalência de sífilis em unidade prisional feminina do Nordeste brasileiro. Einstein. 2020; 18: eAO4978. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-45082020000100253&lng=pt.

6. Bai JR, Befus M, Mukherjee DV, Lowy FD, Larson EL. Prevalence and predictors of chronic health conditions of inmates newly admitted to maximum security prisons. J Correct Health Care. 2015;21:255-64. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4491502/

7. Lagarrigue A, Ajana S, Capuron L. Obesity in french inmates: gender differences and relationship with mood, eating behavior and physical activity. PLoS ONE. 2017;12(1):e0170413. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0170413

8. Constantino Patricia, Assis Simone Gonçalves de, Pinto Liana Wernersbach. O impacto da prisão na saúde mental dos presos do estado do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc. saúde coletiva. 2016;21( 7 ):2089-100. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000702089&lng=pt

9. Brasil. Sistema de Informações do Departamento Penitenciário Nacional (SISDEPEN). [Internet]. 2020 [cited 2020 Out 28]. Disponível em: https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMjU3Y2RjNjctODQzMi00YTE4LWEwMDAtZDIzNWQ5YmIzMzk1IiwidCI6ImViMDkwNDIwLTQ0NGMtNDNmNy05MWYyLTRiOGRhNmJmZThlMSJ9

10. Brasil. Lei de Execução Penal. [Internet]. 1984 [cited 2020 Out 28]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7210.htm
11. Brasil. Ministério da Saúde. Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário. 2003 [cited 2020 Out 28]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_nacional_saude_sistema_penitenciario_2ed.pdf

12. Brasil. Ministério da Saúde e Ministério da Justiça. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional. Brasília, 2014 [cited 2020 Out 28]. Disponível em: http://www.conass.org.br/Notas%20t%C3%A9cnicas%202013/NT%2033-%202013%20Poli%CC%81tica%20Sau%CC%81de%20Prisional.pdf

13. Lermen HS, Gil BL, Cúnico SD. Saúde no cárcere: análise das políticas sociais de saúde voltadas à população prisional brasileira. Physis 2015;25( 3 ): 905-24. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312015000300905&lng=pt.

14. Filek H, Harris J, Koehn J. (2013) Students’ experience of prison health education during medical school. Medical Teacher. 2013;35(11):938-43

15. Cunha ATR, Silva JI, Oliveira GS. (2020). População em Situação de Rua: o Papel da Educação Médica ante a Redução de Iniquidades. Rev. bras. educ. med. 2020;44:supl.1, e136. Available from https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022020000500403&lng=pt&nrm=iso
16. Reis CB, Bernardes EB. O que acontece atrás das grades: estratégias de prevenção desenvolvidas nas delegacias civis contra HIV/AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis. Ciênc. saúde coletiva. 2011; 16( 7 ): 3331-8. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000800032&lng=en

17. Coelho HC, Perdoná GC, Neves FR, Passos ADC. HIV prevalence and risk factors in a Brazilian penitentiary. Cad. Saúde Pública. 2007; [cited 2020 Nov 03]; 23( 9 ): 2197-204 Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2007000900027&lng=en

18. Brooker R., Hu W, Reath J. Medical student experiences in prison health services and social cognitive career choice: a qualitative study. BMC Med Educ 2018;18, 3. Disponível em: https://bmcmededuc.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12909-017-1109-7#citeas
Publicado
2020-12-30
Seção
Ciências Humanas e Saúde

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##