Projeto Ribeirinho: alunos de medicina fazendo a diferença no atendimento de populações negligenciadas pelo sistema de saúde

  • Alicia Monte Vicente Medina
  • Amanda Gonçalves da Costa
  • Arthur Arantes de Souza Camargo
  • Carolina Viza Amorim
  • Jéssica Brenda de Albuquerque Belem
  • Júlia Bressan da Costa
  • Lucas Henrique Viza Amorim
  • Thalissa Costa dos Reis
  • Nábil Junior Abdul Razzak
  • Flavio Mavignier Cárcano
  • Wesley Justino Magnabosco
Palavras-chave: Educação médica, humanização da assistência, responsabilidade social

Resumo

Introdução: A responsabilidade social deve ser desenvolvida entre os estudantes de medicina através de vivências que extrapolam o ambiente curricular e lhes ensinam sobre suas responsabilidades na sociedade, sendo componente importante na formação médica. Relato de experiência: O Projeto Ribeirinho é um projeto social, filantrópico, sem fins lucrativos, organizado por acadêmicos de medicina a fim de levar assistência médica primária aos ribeirinhos do Rio Jamari (RO), região de difícil acesso, carente de profissionais da saúde e de assistência em geral. Foi realizado em julho 2017 por estudantes de medicina que foram responsáveis por toda a organização e realização do mesmo. Contou também com o trabalho voluntário de dois médicos, um dentista, um estudante de odontologia e o apoio da Unidade de Saúde Vale do Rio Jamary, local de concretização do projeto. As despesas foram financiadas por empresas e pessoas físicas que doaram dinheiro, medicamentos e alimentos. O Hospital de Amor de Barretos forneceu uma unidade móvel que realizou 68 mamografias e 55 Papanicolau. Foram realizados 360 atendimentos, além de ações educativas e doações de medicamentos. Apesar da desigualdade constatada foi possível construir a consciência cidadã e colaborar para o acesso universal e equitativo no atendimento da população, como foi realizado nesse projeto. Conclusão: O projeto proporcionou acesso à saúde para comunidades ribeirinhas, além de aprendizado acadêmico, de responsabilidade profissional e social, empatia e trabalho em equipe aos participantes. Também permitiu uma visão mais abrangente sobre a realidade do sistema público de saúde em regiões carentes e de difícil acesso.

Publicado
2019-12-20
Seção
Ciências Humanas e Saúde

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##