Impacto dermatológico do uso do cigarro eletrônico

revisão da literatura

  • Ana Paula Trindade Moraco
  • Jessica Cambrea Joaquim Martins
  • Cristiane Botelho Miranda Cárcano
Palavras-chave: Cigarro eletrônico, língua negra pilosa, dermatite de contato, reação liquenoide

Resumo

Introdução: Visto como uma alternativa menos nociva para aqueles que desejam cessar o tabagismo, o uso do cigarro eletrônico (e-cigarro) tem se tornado cada vez mais comum. Atualmente, a segurança desse dispositivo vem sendo questionada, uma vez que o mesmo pode causar alterações em sistemas orgânicos, incluindo manifestações dermatológicas. Objetivo: Revisar  as  manifestações dermatológicas associadas ao uso do e-cigarro descritas na literatura. Material e Métodos: Para compor essa revisão bibliográfica foram selecionados artigos científicos utilizando o banco de dados do PubMed, que avaliaram as alterações dermatológicas associadas ao e-cigarro. Resultados: Lesões de mucosa oral como língua negra pilosa e reações liquenoides, além de dermatite de contato foram reportadas com o uso do e-cigarro. Injúrias termais, como queimaduras, também podem ocorrer. Conclusão: O uso de e-cigarro têm aumentado entre adultos e adolescentes desde 2010. Efeitos adversos do e-cigarro são descritos na literatura, devido à exposição à nicotina, injúrias químicas, térmicas e explosivas, podendo levar a queimaduras. A mucosa oral e a pele podem ser afetadas pelo uso destes dispositivos. Não foram encontrados estudos clínicos controlados e randomizados. Dermatologistas devem estar atentos às dermatoses associadas a este dispositivo.

Publicado
2019-12-18
Seção
Ciências da Saúde

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##