Desenvolvimento de dispositivo de baixo custo para punção venosa periférica para treino e habilidade de estudantes de medicina

relato de experiência

  • Robson Aparecido dos Santos Boni Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata - FACISB
  • Aline Junqueira Bezerra
  • Rodrigo Chaves Ribeiro
  • Wilson Elias de Oliveira Júnior
Palavras-chave: Punção venosa periférica, treinamento em simulador, educação médica, treinamento de habilidades

Resumo

Objetivo: Desenvolvimento de um modelo de baixo custo para punção venosa periférica para oferecer ao estudante de medicina a possibilidade de treino e aquisição de habilidade. Materiais e Métodos: foram utilizados para confecção do dispositivo, bandejas de isopor de (15x15x1,8 cm), 1 Kg de BS adesivo branco PS marca Redelease® com catalisador. Para os vasos sanguíneos foram usados garrotes tubulares de látex com dimensões 30 x 0,5 cm, a parede do garrote possuía 0,1 cm e diâmetro luminal de 0,3 cm. O lúmen do garrote foi preenchido com sangue artificial. As bandejas de isopor foram usadas como fôrma molde para incorporação dos garrotes, bem como para controlar a profundidade de imersão, o que simularia a profundidade da veia em relação à pele. Foram feitos orifícios de 0,5 cm bilaterais nas bandejas para passagem dos garrotes. Logo, os garrotes foram cobertos pela mistura da borracha de silicone com seu catalisador, obedecendo a proporção de 3% recomendado pelo fabricante. Esse sistema foi instalado em bomba de infusão com fluxo contínuo para simular o fluxo vascular.  Relato de experiência: O sistema de bomba de infusão, criou uma pressão na luz tubular do garrote semelhante a pressão venosa. Desta forma, ao puncionar com o dispositivo agulhado, era possível observar o retorno do sangue artificial. Foi observada boa resistência da borracha às sucessivas perfurações, bem como percepção tátil à palpação digital e custo acessível. Conclusão: o dispositivo cumpriu o propósito de seu desenvolvimento, teve ótima reprodutibilidade e custo consideravelmente inferior aos manequins industriais.

Publicado
2019-12-18
Seção
Ciências Humanas e Saúde